Terça-Feira, 11 de Julho de 2017 às 09:41

Motoristas de Uber realizam protesto contra medida de regulamentação

Em um protesto contra o decreto da Prefeitura de Palmas que regulamenta o transporte particular de passageiros, um grupo de motoristas do Uber realiza uma carreata na manhã desta terça-feira, 11. O grupo saiu da quadra 502 Sul, próximo ao Paço Municipal e percorreu a Avenida NS-2 até chegar a Avenida JK na sede da Prefeitura.

Após esse primeiro ato, eles pretendem ir ao hemocentro fazer uma doação de sangue para chamar a atenção da sociedade para a causa. “Queremos que a medida seja suspensa para que seja realizada uma audiência pública para a reformulação deste decreto”, coloca motorista de Uber e servidor público, Vinicius Luz.

Conforme Luz, até sexta-feira, 14, aqueles que solicitarem quem um carro para ir ao Hemocentro para doar sangue não terão a viagem cobrada. “Iremos cancelar a viagem e levar o passageiro”, relatou. Ainda na manhã desta terça-feira, 11, após a ação no Hemocentro, o grupo vai se reunir na Defensoria Pública Estadual (DPE) para uma reunião de orientação.

Ao todo são cerca de 300 motoristas que estariam cadastrados na empresa atuando como prestadores de serviço através do aplicativo.

Medida

A medida editada pela gestão, que está em vigor desde o último dia 7, estabelece uma taxa mensal para o motorista do aplicativo, além de outras exigências. Conforme o decreto municipal nº 1.394, em 7 de junho de 2017, as empresas interessadas em operar plataforma de serviço de transporte individual motorizado privado e remunerado de passageiros requeresse autorização para atuar na Capital.

A prefeitura informou que a Uber não havia protocolado a solicitação e o prazo não seria prorrogado. Somente após o cadastramento as empresas jurídicas interessadas na oferta deste serviço na Capital, os condutores poderiam realizar pré-cadastro no município para proceder à verificação de regularidade da atividade, vistoria de veículos e cumprimento de regulações de controle do serviço.

Um dia antes, na quinta-feira, 6, os motorista se reuniram em frente à DPE para um ato. Após um diálogo, o órgão protocolou na Procuradoria Geral do Município (PGM) recomendação pedindo ao município que suspenda os efeitos do decreto. O objetivo é oportunizar a discussão dos dispositivos do decreto, antes da cobrança de obrigações aos motoristas que aderiram à plataforma.

 

Tag's: Tocantins, Palmas, Polícia

Fonte: Jornal do Tocantis

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS