Sábado, 15 de Setembro de 2018 às 11:24

Refugiados que viviam nas ruas são recolhidos e levados a abrigos

Cerca de 300 imigrantes que estavam em situação de rua foram recolhidos e levados, na madrugada dessa quinta-feira (13), aos abrigos Rondon 1, Santa Tereza, Canaã e Latife Salomão, em Boa Vista. O trabalho fez parte da Força-Tarefa Logística Humanitária coordenada pelo Exército Brasileiro, com o objetivo de acolher os refugiados.

 

A ação foi executada por militares das Forças Armadas que integram a "Operação Acolhida", além de órgãos e agências nacionais e internacionais e integrantes do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) com o apoio de ONG. Conforme o major Tássio de Oliveira, as pessoas foram retiradas das redondezas da rodoviária.

 

"Esses imigrantes estavam na região do abrigo da Consolata. Eles foram levados ao posto de triagem para serem cadastrados, imunizados, alimentados e passarem por uma seleção antes de serem abrigados. Cada um foi encaminhado aos abrigos conforme o perfil e quantidade de vagas disponível", disse, acrescentando que todos tiveram de apresentar a documentação.

 

O major Tássio explicou que essas vagas foram abertas após a interiorização. Nesta semana, em nova etapa do processo, 201 venezuelanos embarcaram na quarta-feira (12) para o Rio Grande do Sul e ontem foram mais 176 para o mesmo estado. Com isso, passa de 1,9 mil o número de imigrantes levados a outros estados desde abril deste ano.

 

"Até dezembro, o programa de interiorização possui como meta transportar cerca de 400 imigrantes por semana, disponibilizando vagas para abrigar imigrantes em situação de vulnerabilidade que se encontram vivendo nas ruas de Boa Vista", conforme o Exército. Oliveira adiantou ainda que mais um abrigo será entregue com 500 vagas.

 

"O Abrigo Rondon 2 está previsto para ser entregue nos próximos dias. Nele, serão abertas 500 vagas. Com isso, vamos realizar novamente uma operação para retirar mais imigrantes das ruas. O local também será uma base de interiorização, onde os venezuelanos vão ficar antes de serem levados ao aeroporto", informou o major.

 

O Exército ressaltou ainda que a missão da Força-Tarefa Logística Humanitária para Roraima, no contexto da Operação Acolhida, é cooperar com os governos federal, estadual e municipal com medidas de assistência emergencial para o ordenamento da fronteira, o abrigamento e interiorização de imigrantes oriundos da Venezuela.

 

 

NOVAS OPORTUNIDADES

 

Mais 176 venezuelanos viajaram, nessa quinta, com destino a Canoas e Esteio, cidades do Rio Grande do Sul, por meio do processo de interiorização, que visa melhorar as condições de vida de imigrantes que buscaram o Brasil como refúgio. Na semana passada, foram levados 408 para Manaus, Cuiabá, São Paulo, Esteio (RS) e Brasília (DF).

 

O Boeing 767 da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou por volta das 9h (horário local), com previsão de chegada ao aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, às 14h40 (horário de Brasília). Entre os venezuelanos que viajaram ontem, 87 foram levados para Canoas e 89 para Esteio.

 

Todos os solicitantes de refúgio e de residência que aceitaram participar da interiorização foram vacinados, submetidos a exame de saúde e regularizados no Brasil - inclusive com CPF e carteira de trabalho. A interiorização é uma iniciativa criada para ajudar venezuelanos em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida em outros Estados.

Tag's: REFUGIADOS, RUAS, RECOLHIDOS, ABRIGOS

Fonte: Roraima em tempo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS