Quarta-Feira, 08 de Agosto de 2018 às 16:26 - Atualizado em Quarta-Feira, 08 de Agosto de 2018 às 16:38

PIB de Roraima é o segundo que mais cresce no Brasil

Dados da Consultoria Tendência, divulgados pela revista Exame, mostram Roraima com uma previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019 em comparação com 2014, de 6,9%. Na tabela, Roraima aparece em segundo lugar no ranking, ficando abaixo apenas do Pará, que no comparativo aparece com um crescimento de 11,3% para 2019. O Pará é uma das unidades da federação menos afetadas pela crise, com queda do PIB de apenas 1,2% no biênio 2015/2016. A estimativa mostra crescimento do PIB em mais seis estados.

 

 

Este é o segundo ano em que Roraima tem saldo positivo no crescimento do PIB. No ano passado, esse acréscimo foi de 2%, puxado principalmente pela agropecuária. A previsão da Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan) é que o Estado feche 2018, com crescimento de 2,7%. 

 

O secretário de Planejamento, economista Haroldo Amoras, explicou que, apesar do endividamento do estado, da crise imigratória que vem crescendo desde 2015 e da crise econômica do país, o Governo tem investido em políticas públicas de incentivo ao desenvolvimento e que estão mostrando resultados positivos, prova disso é a previsão da consultoria Tendência. 

 

“Esse aumento do PIB mostra como os vários investimentos feitos pelo Governo têm contribuído para o crescimento do Estado. Em três anos e meio de gestão, garantimos o Certificado Internacional de Livre da Febre Aftosa, e agora os pecuaristas podem exportar carne bovina para outros países. Com a erradicação da mosca da carambola, agora também é possível exportar frutas, e os investimentos em manutenção de pontes, estradas e vicinais têm garantido o escoamento das produções agrícolas. Com a regularização fundiária, os pequenos produtores da renda familiar, têm segurança para produzir, e com a revitalização e ativação da usina de Jatapu, mais de 50 mil moradores do sul do Estado estão sendo beneficiados com energia de qualidade. Tudo isso contribui pra que mais pessoas queiram investir no Estado”, pontuou Haroldo.

 

Ele destacou que mesmo com os entraves para o crescimento da economia do Estado, que tem como principal fator a imigração, a economia de Roraima ainda supera a da maioria dos estados e que esse crescimento se dá por três principais fatores, que traduzem no aumento da riqueza gerada pelo Estado. 

 

O primeiro é em virtude das despesas públicas, sejam elas do governo federal, estadual e municipal, que inclui pagamento de pessoal e despesas, e principalmente as recentes convocações de aprovados em concursos públicos, e a aprovação dos planos de cargos e salários.

 

“A folha de pagamento da administração pública estadual movimenta 70% do PIB, seguida do comércio, prestação de serviços, movimentação industrial e agropecuária. Além disso, os pagamentos de benefícios como Crédito do Povo e Bolsa Família também contribuem para melhorar a economia local”, explicou Amoras.

 

 O segundo fator de crescimento está nos estímulos que o Governo fez para que fosse possível exportar alimentos e grãos. “A lei 215, de 1998 e que foi ampliada na atual gestão, entre outros benefícios, garantiu incentivo fiscal para empreendimentos agropecuários, bem como aos participantes do Projeto Integrado de Exploração Agropecuária e Agroindustrial do Estado com isenção dos tributos de competência deste Estado, até o término do exercício de 2050”, acrescentou.

 

O terceiro fator envolve a Área de Livre Comércio, criada em Roraima em 2008 para promover o desenvolvimento das cidades de fronteiras internacionais, que concede aos empresários incentivos fiscais para implantação de indústrias que utilizem matéria-prima da Amazônia Ocidental, contribuindo ainda para ampliar a exploração do turismo de negócios no Estado.

 

Um levantamento realizado pela Seplan estima que o PIB de Roraima vai continuar crescendo, em média 3% por ano até 2021. Em dados acumulados, essa média representa um crescimento estimado de 19,6%, em cinco anos (2016-2021). “Isso é fruto de uma política séria de desenvolvimento econômico-social com o objetivo de mudar nossa matriz econômica, focada na produção e não mais no serviço público”, finalizou o secretário. 

 

Dados de 2017 divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em valores, mostra que o PIB do país ficou em R$ 6,6 trilhões. Desse total, Roraima representa apenas 0,2%. Ainda conforme dados do Instituto, a capital Boa Vista se destacou com um dos melhores desempenhos do país, ficando entre os dez primeiros municípios do país que criaram mais vagas de trabalho em 2017.

 

 

 

Tag's: PIB, RARIMA, CRESCIMENTO, BRASIL

Fonte: Folha BV

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS