Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017 às 12:17

Sanidade de médico acusado de pedofilia é questionada por familiares

Parentes do médico Álvaro Cardoso Magalhães, preso no início do mês, suspeito de cometer estupro de vulnerável e pedofilia contra duas crianças em Santarém, no Oeste paraense, deverão entrar na Justiça para pedir autorização para que ele seja submetido à um exame de verificação de sanidade mental.

Segundo o apurado pela polícia, Álvaro cometia os abusos contra duas meninas, uma de dois anos e oito meses, e outra de apenas três meses. Duas mulheres acusadas de acobertas as atividades criminosas do médico também foram presas, sendo que uma delas é mãe da bebê vítima do abusador.

De acordo com o portal O Estado Net, familiares do acusado querem autorização para contratar peritos para submeter o teste.

Uma avaliação apontando que Álvaro sofre de transtornos mentais poderia ser utilizada em juízo apontar a impossibilidade do agente responder pelos crimes, substitutindo um possível cumprimento de pena na prisão por internação em um hospital psiquiátrico.

Segundo o cógido brasileiro, o juiz não é obrigado a acatar o laudo pericial sobre sanidade mental.

Tag's: Pará, Justiça, Polícia

Fonte: DOL

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS