Quarta-Feira, 05 de Julho de 2017 às 09:37

Reconstituição de chacina em Pau d’Arco é a maior do país

A Polícia Federal iniciou ontem a reprodução simulada para apurar os fatos decorrentes da operação policial realizada na fazenda Santa Lúcia, localizada no município de Pau d’Arco, que resultou na morte de 10 pessoas que estavam acampadas dentro da propriedade que pertence à família Banbisnki, pioneira no município. A reprodução está sendo acompanhada também por policiais militares e civis.

O trabalho dos 4 peritos federais de Brasília e 2 do Instituto de Perícias Científicas Renato Chaves, de Belém, deve durar até o próximo domingo. A simulação está sendo acompanhada pelo delegado de Polícia Civil Aurélio Paiva, que preside o inquérito policial que será encaminhado para a Justiça Criminal.

De acordo com o delegado federal Josiel Brito, que comanda a operação, serão usadas 60 pessoas, que atuarão como atores na simulação. Segundo o delegado Brito, é a maior reprodução de uma cena de crime já feita pela Polícia Federal no Brasil. A imprensa que acompanha a simulação não teve acesso ao local onde aconteceu o suposto confronto. Cinco testemunhas que sobreviveram durante o confronto participam da simulação, como testemunhas.

TESTEMUNHAS

Durante todo o tempo, as testemunhas permaneceram em um local isolado da imprensa e dos policiais, com os rostos cobertos e não tiveram nenhum contato com a imprensa. Os cinco sobreviventes estão inclusos no programa de proteção a testemunhas, por isso não podem ser fotografados e nem os nomes revelados.

Ainda segundo o delegado Brito, as cenas da simulação estão sendo filmadas por um drone da Policia Federal, que também vai utilizar computação gráfica para facilitar o entendimento dos jurados, juiz, promotores, que vão atuar no caso. “A Polícia Federal está utilizando tecnologia de ponta para reproduzir o que aconteceu naquele dia aqui nesse local, vamos filmar e tentar reproduzir com riquezas de detalhes para que seja visualizado por todos aqueles que tem a responsabilidade de fazer a justiça’’, disse o delegado.

O delegado disse também que a simulação é importante para refazer passo a passo e individualizar as condutas e atribuir a responsabilidade de cada um pelos atos que foram praticados no local. O ponto chave da simulação será na próxima sexta-feira, quando será a vez dos policiais que participaram da operação fazer a reprodução dos fatos.

Tag's: Pará, Justiça, Polícia

Fonte: DOL

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS