Quarta-Feira, 11 de Abril de 2018 às 15:32

Nova prisão e armas apreendidas no entorno de presídio onde ocorreram 21 mortes

O entorno do Complexo Penitenciário de Santa Isabel, na Região Metropolitana de Belém, continuou movimentado nesta quarta-feira (11), um dia após uma tentativa de fuga no local resultar na morte de 21 pessoas. Durante a madruga e começo da manhã, armas foram apreendidas e uma pessoa foi presa suspeita de tentar auxiliar na ação.


A prisão ocorreu no começo da madrugada, após policiais receberem a denúncia de que um carro estava parado de forma suspeita na rodovia BR-316, nas proximidades do complexo. Uma equipe realizou uma abordagem no veículo, que era dirigido por Wanderleia Reis da Silva, de 25 anos, moradora do bairro do 40 Horas, em Ananindeua.


Com ela, foram encontrados R$ 3 mil e um caderno com orientações sobre o uso do dinheiro para a compra de munição para diversos tipos de armamentos de grosso calibre, incluindo fuzis. A suspeita é de que ela iria dar apoio na fuga de duas pessoas armadas que foram vistas na área de matagal ao lado do presídio, mas que conseguiram fugir. Ela foi detida e encaminhada para a Divisão de Homicídios, em Belém.


Já durante a manhã, policiais militares do Grupamento Tático realizavam uma varredura na área de matagal quando encontraram diversas armas, incluindo escopetas, metralhadoras, fuzis e outras armas de grosso calibre, além de dois coletes. Um suspeito ainda não identificado foi flagrado na área e encaminhado para a delegacia de Santa Isabel para prestar depoimento.


TENTATIVA DE FUGA


A tentativa de resgate no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III (CRPP III), no Complexo de Santa Izabel, ocorreu durante a tarte. Durante a ação, agentes penitenciários foram feitos reféns e houve intensa troca de tiros.


A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) informou na manhã de hoje que "quatro servidores ainda continuam internados. Os agentes prisionais Daniel Lobato, Robson Nazareno e Edson Oliveira passaram por cirurgia e apresentam quadro estável; já o agente Rosivaldo Silva passou por exames e está em observação aguardando avaliação médica. Todos os demais agentes já foram liberados e passam bem".


A Coordenadoria de Assistência Social da Susipe começou a entrar em contato com as famílias dos presos para a identificação dos corpos que estão no IML de Castanhal e Belém. O corpo do agente prisional Guardiano Santana, de 57 anos, ainda aguarda liberação no IML.


A Susipe também informa que a recontagem de presos ainda não foi finalizada e "não confirma, até o momento, fuga de presos na ação".
(DOL com informações de Tiago Silva/Diário do Pará)

 

Tag's: noca, prisão, armada, entorno, presídio

Fonte: diarioonline.com.br

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS