Quinta-Feira, 13 de Julho de 2017 às 07:20

Justiça determina que rodoviários liberem saída de ônibus

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Pará não poderá impedir a população de utilizar os transportes coletivos da Empresa Nova Marambaia. A decisão liminar foi proferida ontem, pela desembargadora do Trabalho, Rosita Sidrim Nassar.

Os rodoviários estão paralisados desde a última terça-feira. Eles reivindicam a devolução de descontos abusivos e o não pagamento de horas extras. Em sua decisão, a magistrada considerou os argumentos apresentados pela empresa Nova Marambaia de que as alegações da categoria são infundadas, bizarras e injustificáveis.

Segundo Nassar, o transporte público é uma atividade essencial e não pode ser interrompido. Além disso, considerou que ao deflagrar a paralisação, o sindicato não observou o prazo de antecedência de 72 horas obrigatório para comunicar aos empregados e usuários sobre o movimento. “Tenha a paralisação fundamento nos descontos dos dias parados ou na jornada de trabalho reconhecida em dissídio coletivo, a conduta não pode ser tolerada pelo Judiciário”, disse a magistrada.

Desde que a paralisação foi deflagrada, a frota se mantém na garagem com a adesão de pelo menos 400 rodoviários, segundo o sindicato. Pelo menos 180 ônibus que operam cerca de oito linhas nos bairros do Tapanã e Bengui não circularam desde o início do movimento. No parecer, Rosita Nassar determinou multa diária de R$ 10 mil ao sindicato em caso de descumprimento da decisão.

Tag's: Pará, Justiça, Polícia

Fonte: DOL

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS