Terça-Feira, 22 de Maio de 2018 às 15:03 - Atualizado em Terça-Feira, 22 de Maio de 2018 às 15:17

É um ditador, persegue as pessoas, diz Roseana sobre Flávio em ato político

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) comandou ontem, na residência da família, no Calhau, em São Luís, uma reunião, que, pela marcante presença de aliados, acabou transformando-se em mais um ato de pré-campanha.


O encontro foi inicialmente marcada para o debate de estratégias e análise de dados de uma recente pesquisa para consumo interno entregue ao grupo. Mas ficou marcado pelas manifestações de apoio de correligionários de todos as regiões do Maranhão.


Deputados, prefeitos, ex-deputados, ex-prefeitos e lideranças políticas de vários municípios acabaram comparecendo ao local e manifestaram apoio à pré-candidatura de Roseana.


Empolgada com os números da pesquisa encomendada pelo grupo, ela garantiu que está motivada para a disputa eleitoral.


“Vocês sabem que quando eu começo uma campanha eleitoral, eu vou pra cima. Não sou de ficar parada. Vou visitar todos os municípios do Maranhão. Conversar com as pessoas, para, novamente, mostrar quem é a Roseana trabalhadora, guerreira, que gosta do povo”, declarou.


A emedebista ponderou que será uma eleição “difícil”, mas “possível”. “Eu não sou mulher de ter medo da luta política, vou encarar. Não será uma eleição fácil, mas não é uma eleição impossível. Analisando as pesquisas fica claro que temos chances reais de vencer a disputa”, finalizou.


Críticas – O discurso da ex-governadora teve o tom de pesadas críticas ao governo Flávio Dino (PCdoB), seu principal adversário na corrida sucessória. Segundo Roseana, a rejeição ao comunista é alta em todo o Maranhão.


“Ele tem uma rejeição muito grande, porque ele não é essa pessoa que se fez passar na eleição passada. Que era um ex-juiz, uma pessoa honesta, um deputado, um democrata, que trabalhava pelo Maranhão. Não existe isso. Ele é um ditador, ele persegue as pessoas. Persegue as pessoas humildes e os grandes também”, completou.


A pré-candidata condenou, ainda, a política econômica da atual gestão. Para ela, “o Maranhão não cresce mais”.


“O Maranhão decresce mais de 5%, não tem criação de novos empregos, não trouxe novas indústrias, os hospitais estão fechando as portas, ele não repassa dinheiro aos municípios, pois acha que o povo pobre do Maranhão não tem direito a Saúde, ele acabou com as UPAs e o nosso povo anda triste e sem entusiasmo, não se tem mais orgulho de ser maranhense nesse governo”, disse.


MAIS


Indicado para compor a chapa de Roseana como primeiro suplente do pré-candidato ao Senado Sarney Filho (PV), o ex-senador e ex-deputado Clóvis Fecury (PSD) disse que o ato político liderado por Roseana foi um momento marcante, de uma pré-candidatura ao governo que verdadeiramente representa os interesses, anseios e expectativas do povo maranhense. “Agora, os maranhenses têm uma alternativa de candidatura ao governo que traz não só a experiência administrativa de sucessivos mandatos bem sucedidos, mas também tem como marca o caráter humano de Roseana, que sempre procurou cuidar bem das pessoas”, assinalou Fecury, que anunciou engajamento total ao projeto do seu grupo político de reassumir o governo e o protagonismo na política local.


O prefeito Lahésio Rodrigues, de São Pedro dos Crentes, fez um dos mais contundentes discursos, durante o ato político liderado por pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), em São Luís.


Filiado ao PSDB, o gestor ganhou notoriedade no Maranhão ao expor em vídeos sua insatisfação com o governador Flávio Dino (PCdoB), a quem acusa de perseguição.


“Eu nunca votei em vocês, mas nunca mais deixarei de votar com os Sarney. Porque eu vi o que é ruim neste estado. E o que é ruim é Flávio Dino”, afirmou.


O tucano afirmou que a população do seu município sofre por causa da perseguição que Flávio Dino faz à sua gestão. E declarou que pode até abdicar do mandato se o comunista continuar no poder.


“Não é justo que cinco mil pessoas sejam perseguidas por causa de uma só pessoa”, completou.



O senador Edison Lobão (MDB) e o deputado federal Sarney Filho (PV) – pré-candidatos a senador na chapa da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) – endossaram as críticas à gestão Flávio Dino (PCdoB).


Para o pré-candidato do PV, por exemplo, foi “o péssimo governo Flávio Dino” quem acabou fazendo Roseana novamente candidata. “Quem fez Roseana candidata foi o péssimo governo Flávio Dino”, afirmou.


Segundo ele, a decepção dos maranhenses com a atual administração estadual provocou um anseio por um retorno da ex-governadora.


“Nós temos agora o desgoverno Flávio Dino que tenta ser comparado aos governos Roseana. O Maranhão, com a experiência de Roseana, com a força política do nosso grupo, vai voltar a crescer”, completou.


Para Lobão, o eleitor do Maranhão desiludiu-se com Dino. “O povo foi iludido uma vez, não será iludido uma segunda”, declarou.


O senador acrescentou que o estado “paga o preço” de ter acreditado nos comunistas.


“O Maranhão elegeu uma mentira. Erramos, e porque erramos estamos pagando o preço”, concluiu.

Tag's: ditador, persegue, pessoas, roseana, ato, político

Fonte: Imirante

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS