Terça-Feira, 15 de Maio de 2018 às 15:17

Rio Jari volta a subir e deixa 20 famílias desabrigadas

Cerca de 20 famílias ficaram desabrigadas após o nível do Rio Jari subir e causar enchente no município de Laranjal do Jari, a 265 quilômetros de Macapá. De acordo com o Governo do Estado do Amapá (GEA), o rio subiu 2,40 acima do normal, ocasionando danos às famílias da região. Parte das famílias foram alojadas em escolas e outras encaminhadas para casa de familiares. Em abril, os alagamentos afetaram diretamente mais de oito mil pessoas.


Segundo o governo, as chuvas ficaram intensa durante o fim de semana na região. No domingo, o nível do Rio já havia subido acima do normal, transbordando e alagando bairros de Laranjal do Jari. Famílias atingidas pela enchente saíram de suas residências em busca de alojamento.

 

Equipes da defesa Civil Estadual, Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Secretaria de Transportes (Setrap) e Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (Sims) foram enviadas, na madrugada de segunda-feira (14), para auxiliar as vítimas no município.


De acordo com o GEA, os bairros Malvinas, Nova Esperança, Mirilândia e alguns pontos do centro da cidade foram atingidos pela enchente. Nove famílias foram levadas para a quadra da Escola Estadual Mineko Hayashida.


Caminhões do Setrap estão sendo utilizados para auxiliar na retirada de imóveis das casas das vítimas. Além disso, a secretaria de Inclusão está realizando o cadastramento dos afetados. A Caesa levou kits para o tratamento de água potável, pois o município ficou com o abastecimento de água comprometido.


A Defesa Civil está no local monitorando o nível do Rio para identificar possíveis novos alagamentos na região. O Ministério da Integração Nacional estará encaminhando para o estado cestas de alimentos, kits para bebês, água mineral e colchões para auxiliar as vítimas. O material está previsto para chegar nos próximos dias.


Enchente em abril


Em abril, os alagamentos danificaram 510 residências de oito bairros e duas comunidades rurais do município, afetando diretamente 8.696 pessoas. Na ocasião, o município decretou situação de emergência.


Na época, o nível do Rio havia atingido 2,37 metros acima do normal provocando alagamentos em oito bairros e duas comunidades rurais de Laranjal do Jari. O Governo liberou R$ 160 mil para a Prefeitura do referido município custear ações de redução dos danos sociais.


A verba repassada pelo governador deveria ser aplicada para remover os afetados das áreas atingidas, distribuir água potável, cestas básicas e hipoclorito para tratamento da água a ser consumida, desinfetar os locais atingidos pela inundação e prestar apoio social e vacinação as pessoas atingidas.


Com a contaminação de 55% da água potável do município, caminhões pipa com água potável foram usados para atender a população, até que a situação da água fosse resolvida. A Prefeitura de Santarém, no Estado do Pará, concedeu ao Governo 2,5 mil unidades de hipoclorito de sódio para o tratamento da água, na época.


Somente após uma semana que o nível do Rio começou a baixar, fazendo com que as pessoas pudessem retornar para suas residências. 

Tag's: famílias, desabrigadas,

Fonte: jdia.com.br

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS