Segunda-Feira, 10 de Junho de 2019 às 16:16

Corpo de mulher é desenterrado e carbonizado

 A Polícia Civil do Amapá tem mais um crime macabro para investigar em um cemitério de Macapá. Desta vez, o cadáver de uma mulher foi desenterrado e carbonizado na madrugada deste domingo (9).

 

Carmem Lúcia Raiol de Jesus, de 57 anos, tinha sido sepultada na última quinta-feira (6), no Cemitério São José, no Bairro do Buritizal, na zona sul de Macapá. Segundo a família, ela estava debilitada e morreu de causas naturais.


No entanto, hoje pela manhã, visitantes encontraram o corpo dela completamente queimado e ao lado da sepultura.

 

Equipes do serviço reservado da Guarda Civil de Macapá estiveram no local para ajudar a administração do cemitério em busca de pistas dos criminosos.

 

“Tiraram ela de dentro da sepultura, e atearam fogo. Está completamente carbonizado, chocante de ser ver. Fere o sentimento da família. Vamos levantar as primeiras informações”, disse um inspetor da GCM.

 

Representantes da Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística também visitaram o local do crime, junto com a Polícia Militar.

 

“Um caso de extrema violência contra a família e contra a pessoa que estava sepultada. Acionamos a polícia, e parece muito com um crime premeditado, mas não podemos nos antecipar à investigação. Foi um crime muito grave e que deve ser refutado por toda a sociedade, e a prefeitura tomará todas as medidas para que os responsáveis sejam punidos”, comentou o secretário de Manutenção Urbanística de Macapá, Augusto Almeida.

 

 

Vigilância

 

Não há câmeras de segurança no local. O secretário disse que a vigilância do cemitério é feita 24 horas por dia pela GCM e com as rondas da PM, mas a área a ser vigiada é muito extensa, cerca de 124 mil metros quadrados. O São José é o maior cemitério de Macapá em número de sepultamentos, mais de 100 mil.

 

Parentes de Carmem Lúcia pediram que as fotos do cadáver carbonizado não fossem publicadas.

 

Este foi o segundo caso em menos de seis meses. No dia 29 de janeiro deste ano, a sepultura da cabo da PM Emily Carine, de 29 anos, foi desenterrado e sofreu abusos sexuais. Até hoje, a polícia ainda não anunciou indiciamentos.

Tag's: corpo, desenterrado, carbonizado

Fonte: selesnafes.com/

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADESS